Luis Dillah faz show “Gente de todo lugar” no Sesc Rio Preto

0
29
Luis Dillah faz show


Luis Dillah  apresenta o show de MPB “Gente de todo lugar” no Sesc Rio Preto .A entrada é gratuita e o show acontece  dia 28, quinta, às 21h30.  
O Show  do cantor e compositor é autoral. Traz leveza e densidade rítmicas, caminhando de mãos dadas com um toque genuinamente brasileiro.
Nas músicas, Dillah fala das suas raízes, suas andanças pelo país. Evidencia a influência da negritude em seu trabalho.

A entrada de menores de 16 anos será permitida apenas se acompanhados do responsável legal, com documentação oficial do menor e do responsável.

Saiba mais:

LUIS DILLAH é neto de violeiro, de quem herdou a viola e um gosto musical eclético. Pesquisador e compositor de músicas que exploram os ritmos mais densos da MPB, Dillah ganhou o mundo a muito tempo, desde que resolveu participar de festivais, encontros e outras violadas por aí a fora.

Com os festivais, ele ganhou a experiência necessária para sobreviver e compor o quadro dos “independentes”.

No festival do Carrefour o 1º lugar deu a Luis Dillah o seu primeiro disco “Que nem eu”, que tem como diretor musical Zuza Homem de Melo, primeiro feito em vinil (porque Dillah queria), e depois, um belo CD (porque os amigos e o seu público queriam), nesse mesmo festival, Chico Cezar ficou com o 3º lugar e Jorge Vercílo figurou como melhor intérprete.

Participou do projeto Pixinguinha, como representante do centro-oeste brasileiro e foi feliz para o sul, levando um pedaço de Brasil que poucos conhecem.

O som que Luis Dillah faz é moderno, arrojado, mas extremamente popular, regional, misturado, universal. A ginga do Brasil dentro do Brasil.

Compositor inquieto, Dillah sempre contou com a presença de seu irmão e intérprete Edson Denizard, com quem inúmeras vezes dividiu os palcos. Suas composições já foram gravadas por grupos como FalamansaSwing de PalhaUakti e TabinhaTrio Jirimum, e  por nomes como Alexandre Az, Reco Bastos, Elton Ribeiro, Dinho Nascimento, Luis Salgado entre outros. Trabalhou ao lado de Pena Branca como intérprete, violonista e contador de causo no show “Semente Caipira”, homônimo do CD, que ganhou o Grammy Latino em 2003.

Dillah dirigiu, produziu, compôs, arranjou, tocou e cantou no CD “Batom vermelho” do grupo ForróQxote, e que contou com as participações da Banda de Pífanos de CaruaruCacau ArcoverdeOswaldinho do Acordeon entre outros.

Dillah participou da virada cultural estadual, convidado pela secretaria do estado de São Paulo, como representante de São José do Rio Preto, evento que teve vinte e quatro horas de duração e contou com as presenças de Renato TeixeiraOswaldinho do AcordeonAfro ReggaeTeatro Mágico entre outros.

Fez o show de encerramento do Festival de inverno da Serra da Canastra em São Roque de Minas em julho de 2010.

Venceu em dezembro de 2010 a 24ª edição do MUSICANTO SUL-AMERICANO DE NATIVISMO – Festival que acontece em Santa Rosa no Rio Grande do Sul, e que conta com a participação de compositores, músicos e intérpretes de toda a America latina.

O show “O Poder de Voar”, de Dillah, encerrou a sexta edição do 6º FEM – Festival Nacional de Música Popular “Vinícius Nucci Cucolicchio”, no dia 30 de outubro 2010, no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto, resultando daí, a gravação do seu primeiro DVD, que foi lançado em maio de 2012, em Uberlândia-MG no teatro Rondon Pacheco no dia 04/05, em São José do Rio Preto-SP no teatro do Sesc no dia 11/05, entre outras cidades.

Em 2013, Dillah continuou com seus shows, bares e festivais, com destaque para o troféu Lamartine Babo de Terceiro lugar no 43° Fenac em Boa Esperança-MG, festival que contou com mais de 3.500 músicas inscritas. Fonte – www.luisdillah.com.br

Artigo anteriorRoyal Thermas Resort e Spa recebe mais de 600 hóspedes para a ceia de Natal
Próximo artigoBanda In Out apresenta  “Traveling The Rock Time Tunnel” em Rio Preto

Sou jornalista com MBA em Gestão Empresarial pela FGV. No início da década de 80 atuei no Rádio e no jornal impresso. Como a curiosidade é a alma do bom jornalista, troquei Rio Preto pela mochila. Morei em Berlim, quando esta ainda era ladeado pelo muro, colhi uva nos campos franceses e vivi em Paris. Depois de viajar pela Europa fui morar em um Kibbutz onde conheci meu primeiro marido, um britânico. Na Inglaterra formei-me em catering pelo Southgate Technical College. De volta ao Brasil, fui ser agricultora orgânica e passei a assinar uma coluna sobre alimentação no Diário da Região. Em 99 nasceu a “Talk Club Assessoria”, uma das primeiras agências de assessoria de imprensa de Rio Preto. Durante uma década a empresa atendeu grandes clientes. Acompanhando o mercado a “Talk Club” se transformou em uma produtora de vídeo, e tem como sócio o cinegrafista e diretor de arte Luis Soares, meu atual marido. Em outubro 2007, criamos o primeiro programa de TV o “ Maturidade Feliz” Programa este que alcançou nível nacional, em 2010, na Rede Vida de Televisão. No final de novembro de 2010 surgiu o “ Malu Rodrigues Visita”, um programa de jornalismo social.